Valuation: O Valor da sua empresa

Valuation: O Valor da sua empresa

Quanto você acha que vale a sua empresa?
Quanto os outros pensam que vale a sua empresa?
Quanto realmente vale a sua empresa?

Normalmente acreditamos que aquilo que construímos, compramos, idealizamos ou cuidamos vale mais. Mas qual valor é este?

O valor investido?
O valor da manutenção?
O valor sentimental?

Tenho me deparado com diversas situações ambíguas, onde a grande discussão está em
torno do quanto realmente vale uma empresa.

Nas transações chamadas de Fusões e Aquisições está é a temática predominante.

Qual o real valor da empresa?
O que é valor do negócio?
• É o faturamento?
• É a carteira de clientes?
• É o lucro?
• São os ativos tangíveis?
• São os ativos intangíveis (não físicos)?

Enfim são inúmeras perguntas difíceis de responder prontamente.

Para que haja uma resposta adequada é necessário aplicar uma metodologia e apurar as
métricas corretas.

Essa metodologia chama-se em inglês VALUATION, em português VALOR DO NEGÓCIO ou
DETERMINAR VALOR AO NEGÓCIO.

O VALUATION é uma forma de entender o negócio, incluindo suas nuances, como: mercado,
concorrentes, sazonalidade, barreiras de entrada e saída, tecnologia, aspectos tributários
entre outros.

Após entender suas nuances é necessário analisar o negócio pelo menos 3 anos anteriores
e projetar pelo menos 5 anos, para que se obtenha uma ideia de valor do negócio.

Contudo está extrapolação futura deve considerar o comportamento macroeconômico do
segmento, bem como as necessidades dos donos do negócio.

Qual o propósito da avaliação da empresa?

Querem vender?
Estão sendo procurados para vender?
Está havendo uma consolidação/blindagem de mercado?
• Querem comparar preços a fim de precificar o negócio a ser adquirido?
• Estão à procura de sinergia?

Todos estes questionamentos deverão ser considerados na valoração da empresa, através
das métricas adequadas e em especial a análise do EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado.

O que significa EBITDA?

Resultado antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Earnings Before Interests,
Taxes, Depreciation and Amortization).

É a métrica utilizada pelo mercado para apurar o potencial de geração de caixa do negócio,
excluindo o impacto tributário que pode mudar com a região ou com o segmento. Exclui-se
também os efeitos meramente contábeis do negócio como depreciação e amortização que
são despesas sem desembolso nenhum de caixa.

Os juros são excluídos também porque cada empresa pode encontrar linhas de
financiamentos diferentes, ou podem estar em fases diferentes de maturação do negócio e,
novamente, para serem analisados em bases iguais é necessário fazer esta exclusão dos
impactos financeiros.

O que significa Fluxo de Caixa Descontado (Discounted Cash Flow – DCF)?

Exceção as Sociedades de Propósito Específico (SPE), nenhuma empresa tem prazo de
validade, e todas tem por meta a geração de caixa/dinheiro.

Neste caso, se torna necessário elaborar projeções e estimar o crescimento das receitas,
custos, despesas e investimentos (Capex), bem como, incluir os efeitos da inflação e a
perpetuidade do negócio, no qual o montante de dinheiro gerado deve ser trazido a valores
de hoje (valor presente). Para que isto ocorre é necessário determinar a taxa de desconto.

Para apurar a taxa de desconto deve ser feita a análise no mínimo de:

Custo e montante do capital dos sócios;
Custo e montante das dívidas onerosas (que tem juros) vigentes;

Estas 2 métricas (EBITDA e FCD) foram e estão sendo usadas pelo mercado de compra e
venda de empresas. Principalmente o Fluxo de Caixa Descontado, por ser mais completo e
levar em consideração toda a estrutura operacional da empresa.

Métricas e processo fundamentais para um Valuation

EBITDA – geração de caixa;
WACC (Weighted Average Cost of Capital) – Taxa de desconto do negócio;
Dívida líquida – quanto da empresa está comprometida com terceiros, e abate-se do
valor de negociação;
Contingências – Trabalhistas, Cíveis, Tributárias, Ambientais e outras que possivelmente
estejam comprometidas com terceiros, as quais usualmente são abatidas do
pagamento

Processo de Due dilligence

Qualidade dos ativos – apurar a realidade dos ativos da empresa;
Qualidade dos resultados – apurar a realidade normal do resultado, ou seja, sem eventos
extra operacionais ou pontuais;

Processo de estudo do novo cenário

Devemos analisar a empresa target com as necessidades do novo proprietário, para poder
ter a visão mais real possível do negócio a adquirir.

Quais custos/despesas aumentariam diminuiriam?
Fecharia áreas?
Manteria quantas pessoas?
A política de comissões de vendas aumentariam ou diminuiriam?
Ampliaria o portfólio de produtos ou clientes;
Existe sinergia com o negócio atual?

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *